«O ignorante afirma, o sábio duvida, o sensato reflete.»

(Aristóteles [384 a.C. – 322 a.C.] – filósofo grego, discípulo de Platão)

Quem sou eu

São Paulo, SP, Brazil
Sou presbítero da Igreja Católica Apostólica Romana. Fui ordenado padre no dia 22 de fevereiro de 1986, na Matriz de Fernandópolis, SP. Atuei como presbítero em Jales, paróquia Santo Antönio; em Fernandópolis, paróquia Santa Rita de Cássia; Guarani d`Oeste, paróquia Santo Antônio; Brasitânia, paróquia São Bom Jesus; São José do Rio Preto, paróquia Divino Espírito Santo; Cardoso, paróquia São Sebastião e Estrela d`Oeste, paróquia Nossa Senhora da Penha. Sou bacharel em Filosofia pelo Centro de Estudos da Arq. de Ribeirão Preto (SP); bacharel em Teologia pela Pontifícia Faculdade de Teologia N. S. da Assunção; Mestre em Ciências Bíblicas pelo Pontifício Instituto Bíblico de Roma (Itália); curso de extensão universitária em Educação Popular com Paulo Freire; estou reiniciando o meu Doutorado em Letras Hebraicas pela Universidade de São Paulo (USP). Estudei e sou fluente em língua italiana e francesa, leio com facilidade espanhol e inglês.

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Ensino público de 56% dos municípios não atinge metas

FÁBIO TAKAHASHI

É o que aponta levantamento da ONG Todos pela Educação com base na Prova Brasil

As metas de aprendizagem de alunos de escolas públicas não foram atingidas em ao menos 56% dos municípios do país, aponta levantamento divulgado ontem pela ONG Todos pela Educação, que reúne empresários, pesquisadores e gestores da área.


A organização traça metas para o país e para cada município (redes públicas), com base na Prova Brasil, exame federal aplicado a cada dois anos. A última edição com dados divulgados é a 2009.


Na área de aprendizagem de estudantes, 56% das cidades não alcançaram os objetivos esperados em português e matemática no 5º ano do ensino fundamental. No 9º ano, o percentual subiu para 60%.


A capital paulista não alcançou o patamar esperado para português no 5º ano e matemática no 9º ano. Segundo as metas da ONG, em matemática espera-se que o aluno do 5º ano saiba, por exemplo, calcular troco; em português, que a criança já entenda a presença de reticências.


No caso de São Paulo, esperava-se que 12% dos alunos estivessem no nível adequado em matemática, mas apenas 8% tiveram êxito.


O ensino fundamental público é gerido prioritariamente por municípios, mas Estados também têm participação.


Diretora-executiva do Todos pela Educação, Priscila Cruz [foto ao lado] diz que faltam às redes ações para populações específicas. "Devem haver programas para alunos em recuperação, com deficiência de locomoção ou que estão no campo."


Representante dos secretários municipais de Educação, Cleuza Repulho afirma que um dos maiores problemas é a falta e a má distribuição de verbas. "A educação infantil, que é a mais cara, é a que menos recebe recursos no país."


Para ela, a aprovação do Plano Nacional de Educação no Congresso é primordial para melhorar o ensino.


A Secretaria Municipal de Educação de SP afirmou que o "estudo aponta que os esforços vêm dando resultado, mas é preciso avançar mais".


Já a pasta estadual disse que "o alerta é importante". E citou que a rede superou as metas do MEC em 2007 e 2009.

3,8 milhões de alunos estão fora da escola

DE SÃO PAULO
DE BRASÍLIA

A ONG apontou que 3,8 milhões de jovens de 4 a 17 anos estavam fora da escola em 2010. O número de jovens dentro da escola representa 91,5% da população, enquanto a meta previa 93,4%.


"Essa meta é a base de todas, porque primeiro temos de colocar as crianças na escola", afirmou Priscila Cruz, da Todos pela Educação.


O ministro Aloizio Mercadante (Educação) disse que vai "acelerar o processo de construção de creches" e "juntar o ensino técnico profissionalizante ao médio".


Na última década houve aumento de 9,2% na proporção de estudantes na escola.


Confira quais são as cinco metas para o ensino público brasileiro:










META 2 - TODA CRIANÇA PLENAMENTE ALFABETIZADA ATÉ OS 8 ANOS




“Até 2010, 80% ou mais, e até 2022, 100% das crianças deverão apresentar as habilidades básicas de leitura e escrita até o final da 2ª série ou 3º ano do Ensino Fundamental”.
Atualmente, o sistema educacional brasileiro não dispõe de uma avaliação externa oficial, nacional, regular e em larga escala para medir o que as crianças efetivamente aprenderam nos primeiros anos da Educação Básica. Mas, em 2011, o movimento Todos Pela Educação, com a parceria do Instituto Paulo Montenegro/Ibope, da Fundação Cesgranrio e do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), realizou a Prova ABC(Avaliação Brasileira do Final do Ciclo de Alfabetização). A Prova ABC aferiu o aprendizado das crianças para o Brasil e cada região ao fim do 3º ano do Ensino Fundamental em leitura, escrita e matemática. Dados por estados ou municípios não estão disponíveis. Apesar da Meta 2 fixar expectativas somente para leitura e escrita, os resultados de matemática também estão disponíveis e as mesmas metas foram consideradas.
Fonte

IndicadoresMetas
201120112022
2ª/3º EF - Escrita53,3 %80,0 %100,0 %
2ª/3º EF - Leitura56,1 %80,0 %100,0 %
2ª/3º EF - Matemática42,8 %80,0 %100,0 %



META 3 - TODO ALUNO COM APRENDIZADO ADEQUADO À SUA SÉRIE



“Até 2022, 70% ou mais dos alunos terão aprendido o que é essencial para a sua série”.
Ficou definido, então, que 70% dos alunos da 4ª e 8ª séries ou do 5º e 9º anos do Ensino Fundamental e do 3º ano do Ensino Médio, no conjunto das redes pública e privada, deverão ter desempenhos superiores a respectivamente 200, 275 e 300 pontos na escala de Português do Saeb, e superiores a 225, 300 e 350 pontos na escala de matemática.
A Meta 3 talvez seja a mais desafiadora das 5 Metas estabelecidas pela Comissão Técnica do Todos Pela Educação. Hoje, o Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) indica que nenhuma das séries avaliadas (5º e 9º ano do Ensino Fundamental e 3º ano do Ensino Médio) possui 35% dos alunos com aprendizado adequado, seja em língua portuguesa, seja em matemática.
Fonte

IndicadoresMetas
2001200320052007200920092021
4ª/5º EF - Port.23,7 %25,6 %26,6 %27,9 %34,2 %36,6 %70,0 %
4ª/5º EF - Mat.14,9 %15,1 %18,7 %23,7 %32,6 %29,1 %70,0 %
8ª/9º EF - Port.21,8 %20,1 %19,5 %20,5 %26,3 %24,7 %70,0 %
8ª/9º EF - Mat.13,4 %14,7 %13,0 %14,3 %14,8 %17,9 %70,0 %
3ª EM - Port.25,8 %26,9 %22,6 %24,5 %28,9 %26,3 %70,0 %
3ª EM - Mat.11,6 %12,8 %10,9 %9,8 %11,0 %14,3 %70,0 %
Pontuação mínima na escala do Saeb, estabelecida pelo Todos Pela Educação como adequada a cada série:
4a série EF - Língua Portuguesa: acima de 200 pontos. Matemática: acima de 225 pontos.
8a série EF - Língua Portuguesa: acima de 275 pontos. Matemática: acima de 300 pontos.
3a série EM - Língua Portuguesa: acima de 300 pontos. Matemática: acima de 350 pontos.
Os dados Brasil referem-se a escolas federais, estaduais, municipais e privadas, das áreas urbana e rural.
Os dados de regiões e estados referem-se a escolas estaduais, municipais e privadas, da área urbana.
Os dados de municípios referem-se a escolas federais, estaduais e municipais da área urbana.




META 5 - INVESTIMENTO EM EDUCAÇÃO AMPLIADO E BEM GERIDO


“Até 2010, mantendo até 2022, o investimento público em Educação Básica deverá ser de 5% ou mais do PIB”.

Em 2009 o investimento público direto em Educação Básica foi de 4,3% do PIB (Produto Interno Bruto).
Fonte

IndicadoresMetas
2006200720082009201020102021
Brasil3,0 %3,0 %4,0 %4,0 %4,3 %5,0 %5,0 %
Para a Meta 5, não há dados por estado.
Dados de 2000 a 2010 divulgados pelo Inep em 19/01/12.

Fonte: Folha de S. Paulo - Cotidiano - Quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012 - Pg. C8 - Internet: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidiano/24710-ensino-de-56-dos-municipios-nao-atinge-metas.shtml e http://www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidiano/24711-38-milhoes-de-alunos-estao-fora-da-escola.shtml

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.