«O ignorante afirma, o sábio duvida, o sensato reflete.»

(Aristóteles [384 a.C. – 322 a.C.] – filósofo grego, discípulo de Platão)

Quem sou eu

São Paulo, SP, Brazil
Sou presbítero da Igreja Católica Apostólica Romana. Fui ordenado padre no dia 22 de fevereiro de 1986, na Matriz de Fernandópolis, SP. Atuei como presbítero em Jales, paróquia Santo Antönio; em Fernandópolis, paróquia Santa Rita de Cássia; Guarani d`Oeste, paróquia Santo Antônio; Brasitânia, paróquia São Bom Jesus; São José do Rio Preto, paróquia Divino Espírito Santo; Cardoso, paróquia São Sebastião e Estrela d`Oeste, paróquia Nossa Senhora da Penha. Sou bacharel em Filosofia pelo Centro de Estudos da Arq. de Ribeirão Preto (SP); bacharel em Teologia pela Pontifícia Faculdade de Teologia N. S. da Assunção; Mestre em Ciências Bíblicas pelo Pontifício Instituto Bíblico de Roma (Itália); curso de extensão universitária em Educação Popular com Paulo Freire; estou reiniciando o meu Doutorado em Letras Hebraicas pela Universidade de São Paulo (USP). Estudei e sou fluente em língua italiana e francesa, leio com facilidade espanhol e inglês.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Psicóloga não poderá professar sua fé com pacientes, decide Conselho

jornal eletrônico Sul21
13.02.2012

A psicóloga Marisa Lobo [foto ao lado] que trabalha na recuperação de dependentes químicos e promete também terapias de “cura” da homossexualidade, tem até o dia 24 de fevereiro para retirar de seus endereços na internet toda e qualquer opinião religiosa que tenha manifestado até agora. A evangélica Marisa foi denunciada no Conselho Federal de Psicologia (CFP) por ativistas LGBT e ateus que discordam com a interferência da religião dela no tratamento dos pacientes.


Marisa foi chamada ao Conselho Regional de Psicologia (CRP) na última quinta-feira (9) quando ficou ciente da decisão do órgão sobre a retirada das opiniões religiosas do blog, da páginas na internet e do twitter. De acordo com o código de ética do Conselho, Marisa estaria violando os termos do código ao expressar suas crenças religiosas, principalmente quando induz posições contrárias à homossexualidade.


Ela assinou um documento e terá 15 dias para adequar o material do site  http://marisalobo.blogspot.com/ e do Twitter @marisalobopsico. E 30 dias corridos para adequar o site  http://www.psicologiacrista.com.br/.


Ao sair da reunião a psicóloga iniciou uma campanha em seu Twitter contra uma suposta “perseguição religiosa”. “Me senti perseguida, ouvi coisas absurdas, uma pressão psicológica que se eu não tivesse sanidade mental, teria me acovardado e desistido de minha fé”, escreveu Marisa.


Ela defendeu que teria direito de expressar suas convicções. “Quando questionei que estavam me pedindo para negar Deus se quiser continuar exercendo minha profissão, elas se olhavam, e diziam: ‘Não é isso, você pode ter sua fé mas não pode externar, guarde pra você, pois está induzindo pessoas a acreditarem em você pela sua influência’”. A profissional já teria uma reunião marcada com o senador Magno Malta para tentar reverter a situação.


Fonte: Instituto Humanitas Unisinos - Notícias - Terça-feira, 14 de fevereiro de 2012 - Internet: http://www.ihu.unisinos.br/noticias/506539-psicologanaopoderaprofessarsuafecompacientesdecideconselho

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.