«No regime neoliberal da autoexploração a agressão é dirigida contra si mesmo. Esta autoagressividade não converte o explorado em revolucionário, mas em depressivo.»

(Buyng-Chul Han [Seul, 1959] – filósofo e ensaísta sul-coreano, professor da Universidade das Artes de Berlim, Alemanha)

Quem sou eu

São Paulo, SP, Brazil
Sou presbítero da Igreja Católica Apostólica Romana. Fui ordenado padre no dia 22 de fevereiro de 1986, na Matriz de Fernandópolis, SP. Atuei como presbítero em Jales, paróquia Santo Antönio; em Fernandópolis, paróquia Santa Rita de Cássia; Guarani d`Oeste, paróquia Santo Antônio; Brasitânia, paróquia São Bom Jesus; São José do Rio Preto, paróquia Divino Espírito Santo; Cardoso, paróquia São Sebastião e Estrela d`Oeste, paróquia Nossa Senhora da Penha. Sou bacharel em Filosofia pelo Centro de Estudos da Arq. de Ribeirão Preto (SP); bacharel em Teologia pela Pontifícia Faculdade de Teologia N. S. da Assunção; Mestre em Ciências Bíblicas pelo Pontifício Instituto Bíblico de Roma (Itália); curso de extensão universitária em Educação Popular com Paulo Freire; estou reiniciando o meu Doutorado em Letras Hebraicas pela Universidade de São Paulo (USP). Estudei e sou fluente em língua italiana e francesa, leio com facilidade espanhol e inglês.

sexta-feira, 16 de março de 2012

Distribuição de Bíblias superou em 15% volume alcançado em 2010

A Sociedade Bíblica do Brasil (SBB) [organização evangélica] produziu e distribuiu 6,7 milhões de Bíblias em 2011, 14,54% a mais do volume alcançado em 2010. Já a distribuição de porções bíblicas, Novos Testamentos e seleções bíblicas alcançou 242 milhões de exemplares, 2,89% superior ao ano anterior.


“A Palavra de Deus é cada vez mais necessária em nosso mundo, em especial para as pessoas em situação de risco social, cujas vidas são transformadas por meio da mensagem bíblica”, ponderou o diretor executivo da SBB, Rudi Zimmer [foto ao lado].


Com a oferta do texto bíblico oferecido em diferentes formatos a SBB consegue atender necessidades específicas dos mais variados públicos. Grande parte das publicações é disponibilizada a preços subsidiados ou fornecida gratuitamente à população beneficiada pelos programas desenvolvidos pela organização, como o Luz no Brasil, A Bíblia para Pessoas com Deficiência, A Bíblia nos Hospitais e A Bíblia nas Escolas.


“Mais do que números, esses dados representam a importância de se trabalhar em diferentes frentes, não perdendo nunca de vista a missão de difundir a Bíblia e a sua mensagem a todas as pessoas, numa linguagem que possam compreender e a um preço que possam pagar”, disse Zimmer.
A Gráfica da Bíblia [foto acima], instalada no município de Barueri [SP] em 1995, onde também fica a sede da SBB, produz um exemplar da Bíblia a cada três segundos, consumindo 800 bobinas de papel por mês, o que equivale a 24 mil quilômetros. O papel consumido em um ano daria 7,2 voltas ao redor do planeta Terra. A SBB exporta 20% de sua produção de Bíblias para mais de 100 países das Américas, África, Ásia e Europa, em nos idiomas português, espanhol, inglês, francês e idiomas falados no continente africano.


A SBB é uma organização filantrópica, sem fins lucrativos, fundada em 1948, que tem por finalidade traduzir, produzir e distribuir a Bíblia Sagrada. Ela faz parte das Sociedades Bíblicas Unidas (SBU), uma aliança mundial criada em 1946 com o objetivo de facilitar o processo de tradução, produção e distribuição das Escrituras Sagradas por meio de estratégias de cooperação mútua. As SBU congregam 146 Sociedades Bíblicas, atuantes em mais de 200 países e territórios.

Fonte: ALC - Agência Latino-Americana e Caribenha de Comunicação - Quinta-feira, 15 de março de 2012 - Internet: http://www.alcnoticias.net/interior.php?codigo=21501&lang=689

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.