«O ignorante afirma, o sábio duvida, o sensato reflete.»

(Aristóteles [384 a.C. – 322 a.C.] – filósofo grego, discípulo de Platão)

Quem sou eu

São Paulo, SP, Brazil
Sou presbítero da Igreja Católica Apostólica Romana. Fui ordenado padre no dia 22 de fevereiro de 1986, na Matriz de Fernandópolis, SP. Atuei como presbítero em Jales, paróquia Santo Antönio; em Fernandópolis, paróquia Santa Rita de Cássia; Guarani d`Oeste, paróquia Santo Antônio; Brasitânia, paróquia São Bom Jesus; São José do Rio Preto, paróquia Divino Espírito Santo; Cardoso, paróquia São Sebastião e Estrela d`Oeste, paróquia Nossa Senhora da Penha. Sou bacharel em Filosofia pelo Centro de Estudos da Arq. de Ribeirão Preto (SP); bacharel em Teologia pela Pontifícia Faculdade de Teologia N. S. da Assunção; Mestre em Ciências Bíblicas pelo Pontifício Instituto Bíblico de Roma (Itália); curso de extensão universitária em Educação Popular com Paulo Freire; estou reiniciando o meu Doutorado em Letras Hebraicas pela Universidade de São Paulo (USP). Estudei e sou fluente em língua italiana e francesa, leio com facilidade espanhol e inglês.

sábado, 27 de fevereiro de 2016

Uma boa notícia para a cultura e as artes no Brasil!

Uma nova editora para a arte e os clássicos

Antonio Gonçalves Filho

Filocalia já começa com oito títulos, que serão lançados em março
EDSON MANOEL DE OLIVEIRA FILHO
Editor da nova editora Filocalia

Em meio ao tsunami econômico que afeta o mercado editorial, levando ao fechamento de editoras conceituadas, surge uma nova proposta revelada ao Estadão pelo publisher Edson Manoel de Oliveira Filho, fundador da É Realizações, editora que completou 15 anos de existência. Ele lança no dia 8 de março a nova editora Filocalia (palavra grega que significa amor ao belo, ao bom) para publicar títulos nas áreas de:
* artes,
* cultura clássica,
* espiritualidade,
* filosofia e
* literatura.

Com a mesma equipe editorial e comercial da É Realizações, a editora já começa com oito títulos, entre eles um livro para ensinar latim às crianças, um estudo de Santo Agostinho sobre o Sermão da Montanha e uma obra poética do século 17 sobre Fílis e Dáfnis, Metamorfose dos Olhos de Fílis em Astros, de Germain Habert.

Também do mesmo século é a obra Discurso da Reforma do Homem Interior, de Cornelius Jansenius, que, como indica o próprio nome, foi o criador do jansenismo, doutrina que prega o rigor moral e tem nesse livro um resumo do pensamento jansenista sobre o desejo carnal. Na área de artes, dois livros estão programados para o próximo mês: um ensaio do filósofo Michel Henry sobre Kandinski e um estudo sobre os ícones de Andrei Rublev, monge russo do século 15 canonizado pela Igreja Ortodoxa Russa e retratado no épico homônimo do cineasta Andrei Tarkovski (1932-1986).

Tarkovski é um diretor privilegiado pela É Realizações, que já lançou seus diários. Agora, seu editor promete publicar três roteiros inéditos do realizador russo, além de outros ensaios na área de cinema dedicados ao indiano Satyajit Ray (1921-1992) e ao alemão Werner Herzog. Outro título esperado é Reflexões Sobre Meu Métier, livro do dinamarquês Carl Theodor Dreyer (1889-1968), em que o diretor do clássico A Paixão de Joana d’Arc (1929) reflete sobre o cinema como jornalista e crítico que foi antes de se tornar cineasta.

A ideia de montar a editora amadureceu nos últimos quatro anos, conta o editor. O marco zero foi o projeto de uma revista de cultura, esboçada em 2012 e que não chegou a sair. “Ainda que a crise econômica tenha afetado o meio editorial, conseguimos publicar 57 títulos pela É Realizações no ano passado e registramos um crescimento de 40%”, revela o editor. Pela Filocalia, em 2016, devem sair 10 títulos, todos para leitores sintonizados com a cultura erudita dedicada ao sublime e ao poético.

Isso não significa um público reduzido. Best-seller surpreendente da É Realizações, Em Defesa do Preconceito, de Theodore Dalrymple, já vendeu mais de 15 mil exemplares desde que foi lançado, em 2015. Surpreendente porque nele o médico psiquiatra britânico, que trabalhou com doentes mentais em prisões, defende a necessidade de se usar o bom senso quando se trata do preconceito. Segundo o médico, o preconceito pode ser útil em determinadas ocasiões – isso não significa defender a xenofobia ou o racismo, mas admitir que ninguém vem do nada ou sobrevive sem ideias preconcebidas.

Com investimento de R$ 500 mil, a Filocalia nasce sob o signo da excelência gráfica, a partir do logotipo criado pelo premiado designer Alexandre Wollner, veterano paulistano ligado à arte concreta que, aos 88 anos, continua na ativa. Ele assina as capas de alguns títulos lançados pela nova editora, empenhada também em divulgar a obra de dramaturgos como o romeno Matéi Visniec, que passou a ser encenado no Brasil após a publicação de suas peças pela É Realizações. Seu primeiro título dedicado ao público infantojuvenil, O Homem das Neves Que Desejava Reencontrar o Sol, com ilustrações de sua mulher Andra Visniec, sai este ano, que terá ainda a poesia do dramaturgo católico Paul Claudel (Cinco Grandes Odes). 
A Trindade e outros ícones são analisados pelo monge ortodoxo do século 15, Andrei Rublev,
em livro a ser lançado em março
Primeiros livros – Março de 2016

Sobre o Sermão do Senhor na Montanha
Santo Agostinho faz uma leitura canônica do sermão que é o fundamento da doutrina cristã. O tratado moral de Agostinho, escrito na época das invasões bárbaras (394), é um texto especialmente dirigido a essa época de degradação.
Esgotado há tempos, o livro é uma das apostas da nova editora Filocalia na área de Religião.

Metamorfose dos Olhos de Fílis em Astros
Germain Habert
Edição bilíngue inédita em português do poema pastoral do francês Habert, publicado em 1639, que narra a história de amor entre Fílis e Dáfinis.
Homem da Igreja e membro da Academia Francesa, Habert escreveu um texto essencial sobre os mitos de Dáfnis e Fílis, que desperta a paixão no Sol.

Minimus
Barbara Bell
Ilustrado por Helen Forte, o livro é um curso de latim para o público infantil, dividido em dois volumes: um para o aluno, outro para o professor. Apresenta, além da gramática e vocabulário, mitos, lendas e informações históricas que facilitam o aprendizado dessa língua que julgavam morta, mas que renasce entre os pequenos poliglotas do País.

Discurso da Reforma do Homem Interior
Cornelius Jansenius
Escrita no século 17 por Jansenius, fundador do jansenismo, doutrina religiosa que virou um movimento de caráter dogmático, a obra é justamente uma análise do desejo carnal e da corrupção da vontade. A edição bilíngue tem tradução de Andrei Venturini Martins e prefácio de Ricardo Reali Taurisano. Edição de luxo.

Fonte: O Estado de S. Paulo – Caderno 2 – Sábado, 27 de fevereiro de 2016 – Pág. C6 – Internet: clique aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.