«O ignorante afirma, o sábio duvida, o sensato reflete.»

(Aristóteles [384 a.C. – 322 a.C.] – filósofo grego, discípulo de Platão)

Quem sou eu

São Paulo, SP, Brazil
Sou presbítero da Igreja Católica Apostólica Romana. Fui ordenado padre no dia 22 de fevereiro de 1986, na Matriz de Fernandópolis, SP. Atuei como presbítero em Jales, paróquia Santo Antönio; em Fernandópolis, paróquia Santa Rita de Cássia; Guarani d`Oeste, paróquia Santo Antônio; Brasitânia, paróquia São Bom Jesus; São José do Rio Preto, paróquia Divino Espírito Santo; Cardoso, paróquia São Sebastião e Estrela d`Oeste, paróquia Nossa Senhora da Penha. Sou bacharel em Filosofia pelo Centro de Estudos da Arq. de Ribeirão Preto (SP); bacharel em Teologia pela Pontifícia Faculdade de Teologia N. S. da Assunção; Mestre em Ciências Bíblicas pelo Pontifício Instituto Bíblico de Roma (Itália); curso de extensão universitária em Educação Popular com Paulo Freire; estou reiniciando o meu Doutorado em Letras Hebraicas pela Universidade de São Paulo (USP). Estudei e sou fluente em língua italiana e francesa, leio com facilidade espanhol e inglês.

terça-feira, 2 de agosto de 2016

Diaconato feminino vem aí?

Papa cria comissão que irá estudar função
de diácono para mulheres

Agências de Notícias 
PAPA FRANCISCO
dá um passo histórico: constitui uma comissão para estudar a possibilidade do diaconato feminino!

O papa Francisco criou nesta terça-feira, 2 de agosto, uma comissão para estudar a possibilidade de permitir que as mulheres sejam diaconisas, uma questão que divide a Igreja Católica e que representaria uma mudança histórica para a instituição.

Na hierarquia católica, os diáconos ocupam o primeiro degrau. Acima, estão padres e bispos.

Embora tenham autorização para pronunciar sermões durante a missa e oficiar batizados, casamentos e funerais, os diáconos não estão autorizados a celebrar a eucaristia, ouvir a confissão dos fiéis ou realizar a unção dos enfermos (antiga extrema-unção).

Os defensores da medida argumentam que as mulheres estão sub-representadas dentro da instituição e que não existe nenhum obstáculo teológico para que voltem a exercer uma função que tiveram nas origens do cristianismo.

Em maio deste ano, papa Francisco abordou a questão durante uma conversa com mulheres de várias ordens religiosas e disse que "seria bom" que a Igreja esclarecesse o ponto. Ao mesmo tempo reafirmou não acreditar que as mulheres possam ser padres, ideia que já havia sido rejeitada de maneira categórica por alguns de seus antecessores.

O Vaticano não informou quando a comissão iniciará os trabalhos nem quando apresentará as conclusões.
DOM LUIS FRANCISCO LADARIA FERRER
Jesuíta Secretário da Congregação para a Doutrina da Fé e Presidente da
Comissão de Estudo sobre o Diaconato das Mulheres

COMPOSIÇÃO

Presidida por D. Luis Francisco Ladaria Ferrer, jesuíta espanhol secretário da Congregação para a Doutrina da Fé, a comissão é composta por 13 pessoas e reúne sacerdotes, religiosos e especialistas acadêmicos.

Eis os membros da comissão:

Ir. Nuria Calduch-Benages, M.H.S.F.N., Membro da Pontifícia Comissão Bíblica;

Profa. Francesca Cocchini, Docente da Universidade «La Sapienza» e do Instituto Patrístico «Augustinianum», ambos em Roma;

Mons. Piero Coda, Diretor do Instituto Universitário «Sophia», Loppiano (Itália), e Membro da Comissão Teológica Internacional;

Pe. Robert Dodaro, O.S.A., Diretor do Instituto Patrístico «Augustinianum», Roma, e Docente de Patrologia;

Pe. Santiago Madrigal Terrazas, S.I., Docente de Eclesiologia da Universidade Pontifícia «Comillas», Madrid;

Ir. Mary Melone, S.F.A., Reitora Magnífica da Pontifícia Universidade «Antonianum», Roma;

Rev.do Karl-Heinz Menke, Docente emérito de Teologia Dogmática da Universidade de Bonn (Alemanha) e Membro da Comissão Teológica Internacional;

Rev.do Aimable Musoni, S.D.B., Docente de Eclesiologia na Pontifícia Universidade Salesiana, Roma;

Pe. Bernard Pottier, S.I., Docente do «Institut d'Etudes Théologiques», Bruxelles (Bélgica), e Membro da Comissão Teológica Internacional;

Profa. Marianne Schlosser, Docente de Teologia Espiritual na Universidade de Vienna (Áustria) e Membro da Comissão Teológica Internacional;

Profa. Michelina Tenace, Docente de Teologia Fundamental na Pontifícia Universidade Gregoriana, Roma;

Profa. Phyllis Zagano, Docente na «Hofstra University», Hempstead, New York (Estados Unidos).

A maioria são europeus ou americanos, mas há um padre de Ruanda.
LUCETTA SCARAFFIA
Historiadora italiana

"É uma comissão ótima, muito equilibrada, com perfis variados, mulheres muito preparadas e de inclinações diferentes, ao mesmo tempo progressista e conservadora", afirmou a historiadora Lucetta Scaraffia à agência de notícias AFP.

O diaconato era uma etapa para o sacerdócio, mas o Concílio Vaticano 2º (1962-1965) restabeleceu o diaconato permanente, acessível a homens casados, que muitas vezes compensam a falta de sacerdotes ou os auxiliam.

Em 2014, de acordo com as últimas estatísticas disponíveis, a Igreja Católica contava com 44.500 diáconos permanentes (para 415.000 padres), principalmente na América do Norte e Europa.

Muitas pesquisas históricas revelaram que as mulheres podiam ser diaconisas nos primeiros séculos do cristianismo. Mas seu papel seria semelhante ao realizado hoje pelas freiras nas paróquias.

DESIGUALDADE

O papa Francisco já evocou várias vezes o desejo de remediar a desigualdade entre homens e mulheres no exercício das responsabilidades dentro da Igreja Católica, reafirmando, no entanto, a oposição da instituição à ordenação das mulheres.

Ele tem procurado incentivar a influência teológica das mulheres e já afirmou que uma mulher poderá em breve dirigir um dicastério (ministério) da Cúria.

"As mulheres são como os morangos em um bolo, é preciso sempre mais", brincou durante uma reunião com teólogos em dezembro de 2014.

Com cerca de 700 mil religiosas e leigas, as mulheres são maioria entre aqueles que trabalham na vida cotidiana das paróquias, mas estão sujeitas a um membro masculino do clero.

Fontes: Folha de S. Paulo – Mundo – Terça-feira, 2 de agosto de 2016 – 10h48 – Internet: clique aqui; e Bolletino Sala Stampa della Santa Sede – 02/08/2016 – BO569 – Internet: clique aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.