«Daqui a alguns anos estarás mais arrependido pelas coisas que não fizeste do que pelas que fizeste. Solta as amarras! Afasta-se do porto seguro! Agarra o vento em suas velas! Explora! Sonha! Descubra!»

(Mark Twain [1835-1910] – escritor e humorista norte-americano)

Quem sou eu

São Paulo, SP, Brazil
Sou presbítero da Igreja Católica Apostólica Romana. Fui ordenado padre no dia 22 de fevereiro de 1986, na Matriz de Fernandópolis, SP. Atuei como presbítero em Jales, paróquia Santo Antönio; em Fernandópolis, paróquia Santa Rita de Cássia; Guarani d`Oeste, paróquia Santo Antônio; Brasitânia, paróquia São Bom Jesus; São José do Rio Preto, paróquia Divino Espírito Santo; Cardoso, paróquia São Sebastião e Estrela d`Oeste, paróquia Nossa Senhora da Penha. Sou bacharel em Filosofia pelo Centro de Estudos da Arq. de Ribeirão Preto (SP); bacharel em Teologia pela Pontifícia Faculdade de Teologia N. S. da Assunção; Mestre em Ciências Bíblicas pelo Pontifício Instituto Bíblico de Roma (Itália); curso de extensão universitária em Educação Popular com Paulo Freire; tenho Doutorado em Letras Hebraicas pela Universidade de São Paulo (USP). Atualmente, realizo meu Pós-doutorado na PUC de São Paulo. Estudei e sou fluente em língua italiana e francesa, leio com facilidade espanhol e inglês.

domingo, 30 de outubro de 2016

31º Domingo do Tempo Comum – Ano C – Homilia

Evangelho: Lucas 19,1-10

Naquele tempo:
1 Jesus tinha entrado em Jericó e estava atravessando a cidade.
2 Havia ali um homem chamado Zaqueu, que era chefe dos cobradores de impostos e muito rico.
3 Zaqueu procurava ver quem era Jesus, mas não conseguia, por causa da multidão, pois era muito baixo.
4 Então ele correu à frente e subiu numa figueira para ver Jesus, que devia passar por ali.
5 Quando Jesus chegou ao lugar, olhou para cima e disse: «Zaqueu, desce depressa! Hoje eu devo ficar na tua casa.»
6 Ele desceu depressa, e recebeu Jesus com alegria.
7 Ao ver isso, todos começaram a murmurar, dizendo: «Ele foi hospedar-se na casa de um pecador!»
8 Zaqueu ficou de pé, e disse ao Senhor: «Senhor, eu dou a metade dos meus bens aos pobres,
e se defraudei alguém, vou devolver quatro vezes mais.»
9 Jesus lhe disse: «Hoje a salvação entrou nesta casa, porque também este homem é um filho de Abraão.
10 Com efeito, o Filho do Homem veio procurar e salvar o que estava perdido.» 

JOSÉ ANTONIO PAGOLA

Eu posso mudar?

Lucas narra o episódio de Zaqueu para que seus leitores descubram melhor o que podem esperar de Jesus: o Senhor que invocam e seguem nas comunidades cristãs «veio buscar e salvar o que estava perdido». Não irão esquecer disso.

Ao mesmo tempo, seu relato da atuação de Zaqueu ajuda a responder a pergunta que muitos trazem em seu íntimo: Eu ainda posso mudar? Não seria demasiado tarde para refazer uma vida que, em boa parte, deixei-a se perder? Que passo posso dar?

Zaqueu é descrito com dois traços que definem com precisão a sua vida. Ele é «chefe dos cobradores de impostos» e «rico». Em Jericó, todos sabem que ele é um pecador. Um homem que não serve a Deus, mas aos dinheiro. Sua vida, como tantas outras, é pouco humana.

No entanto, Zaqueu «procurava ver Jesus». Não é mera curiosidade. Quer saber quem ele é, o que se encontra neste Profeta que tanto atrai o povo. Não é tarefa fácil para um homem instalado em seu mundo. Porém este desejo por Jesus mudará a sua vida.

O homem terá de superar diversos obstáculos. É «muito baixo», sobretudo porque a sua vida não é motivada por ideais muito nobres. O povo é outro impedimento: terá de superar preconceitos sociais que dificultam o encontro pessoal e responsável com Jesus.

Porém Zaqueu prossegue sua busca com simplicidade e sinceridade. Corre para antecipar-se à multidão, sobe em uma árvore como uma criança. Não pensa em sua dignidade de homem importante. Somente quer encontrar o momento e o lugar adequados para entrar em contato com Jesus. Quer vê-lo.

É quando descobre que Jesus também o está procurando, pois vai até o lugar onde está, busca-o com o olhar e lhe diz: «O encontro será hoje mesmo em tua casa de pecador». Zaqueu desce e recebe-o em sua casa cheio de alegria. Há momentos decisivos pelos quais Jesus passa pela nossa vida porque quer salvar aquilo que nós estamos deixando perder. Não podemos deixar essa ocasião nos escapar!

Lucas não descreve o encontro. Somente fala da transformação de Zaqueu. Ele muda sua maneira de encarar a vida: não pensa mais apenas em seu dinheiro, mas no sofrimento dos demais. Muda seu estilo de vida: fará justiça aos que explorou e compartilhará seus bens com os pobres.

Cedo ou tarde, todos corremos o risco de «nos acomodarmos» na vida renunciando a qualquer aspiração de viver com mais qualidade humana. Os que creem devem saber que um encontro mais autêntico com Jesus pode fazer nossa vida mais humana e, sobretudo, mais solidária.

Traduzido do espanhol por Telmo José Amaral de Figueiredo.

Fonte: MUSICALITURGICA.COM – Homilías de José A. Pagola – Segunda-feira, 24 de outubro de 2016 – 09h08 [Horário da Europa Central – Espanha] – Internet: clique aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.