«O ignorante afirma, o sábio duvida, o sensato reflete.»

(Aristóteles [384 a.C. – 322 a.C.] – filósofo grego, discípulo de Platão)

Quem sou eu

São Paulo, SP, Brazil
Sou presbítero da Igreja Católica Apostólica Romana. Fui ordenado padre no dia 22 de fevereiro de 1986, na Matriz de Fernandópolis, SP. Atuei como presbítero em Jales, paróquia Santo Antönio; em Fernandópolis, paróquia Santa Rita de Cássia; Guarani d`Oeste, paróquia Santo Antônio; Brasitânia, paróquia São Bom Jesus; São José do Rio Preto, paróquia Divino Espírito Santo; Cardoso, paróquia São Sebastião e Estrela d`Oeste, paróquia Nossa Senhora da Penha. Sou bacharel em Filosofia pelo Centro de Estudos da Arq. de Ribeirão Preto (SP); bacharel em Teologia pela Pontifícia Faculdade de Teologia N. S. da Assunção; Mestre em Ciências Bíblicas pelo Pontifício Instituto Bíblico de Roma (Itália); curso de extensão universitária em Educação Popular com Paulo Freire; estou reiniciando o meu Doutorado em Letras Hebraicas pela Universidade de São Paulo (USP). Estudei e sou fluente em língua italiana e francesa, leio com facilidade espanhol e inglês.

quarta-feira, 19 de outubro de 2016

“Que os pobres não paguem a conta do país”

Essa é a afirmação do cardeal-arcebispo de
Aparecida e ex-presidente da CNBB

Gerson Monteiro
DOM RAYMUNDO DAMASCENO DE ASSIS

O arcebispo de Aparecida, d. Raymundo Damasceno de Assis, recebeu uma mensagem do presidente Michel Temer em felicitação ao Dia da Padroeira, celebrado na quarta-feira, 12, no Santuário Nacional. Na mensagem, segundo o religioso, o presidente pediu a bênção ao seu mandato e ao seu projeto político para atender às necessidades do povo. O arcebispo disse esperar "que o novo governo consiga pensar nos mais pobres e que não sejam eles a pagar a conta".

A mensagem foi enviada na terça-feira, 11 de outubro, mas o anúncio foi feito na quarta-feira durante coletiva de imprensa logo após a missa solene, com a presença do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), e os secretários estaduais do Turismo e da Segurança Pública, Laércio Benko e Mágino Alves Barbosa Filho.

Para d. Damasceno, os cristãos, em especial os católicos, devem se envolver com a política de forma ética para atuar em espaços "hoje ocupados por políticos corruptos". "Nós animamos e estimulamos o cristão a se empenhar na política, a não ter medo dela, até mesmo a se filiar a partidos políticos que defendam os princípios e que estejam adequados e coerentes com o ensinamento social da Igreja", disse o religioso.

Espaço

"Se deixarmos nos invadir pelo pensamento de que a política é corrupta, que todos os políticos são corruptos, que ela não contribui em nada para o desenvolvimento, fica evidente que estamos abrindo espaço para políticos que não deveriam ocupar esse cargo", disse arcebispo de Aparecida.

Segundo d. Damasceno, a Igreja tem o papel de se relacionar com o poder público, procurando sempre colaborar para o bem geral do País. “Essa é a nossa grande preocupação”.

Fonte: O Estado de S. Paulo – Política – Quinta-feira, 13 de outubro de 2016 – Pág. A5 – Internet: clique aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.