«Daqui a alguns anos estarás mais arrependido pelas coisas que não fizeste do que pelas que fizeste. Solta as amarras! Afasta-se do porto seguro! Agarra o vento em suas velas! Explora! Sonha! Descubra!»

(Mark Twain [1835-1910] – escritor e humorista norte-americano)

Quem sou eu

São Paulo, SP, Brazil
Sou presbítero da Igreja Católica Apostólica Romana. Fui ordenado padre no dia 22 de fevereiro de 1986, na Matriz de Fernandópolis, SP. Atuei como presbítero em Jales, paróquia Santo Antönio; em Fernandópolis, paróquia Santa Rita de Cássia; Guarani d`Oeste, paróquia Santo Antônio; Brasitânia, paróquia São Bom Jesus; São José do Rio Preto, paróquia Divino Espírito Santo; Cardoso, paróquia São Sebastião e Estrela d`Oeste, paróquia Nossa Senhora da Penha. Sou bacharel em Filosofia pelo Centro de Estudos da Arq. de Ribeirão Preto (SP); bacharel em Teologia pela Pontifícia Faculdade de Teologia N. S. da Assunção; Mestre em Ciências Bíblicas pelo Pontifício Instituto Bíblico de Roma (Itália); curso de extensão universitária em Educação Popular com Paulo Freire; tenho Doutorado em Letras Hebraicas pela Universidade de São Paulo (USP). Atualmente, realizo meu Pós-doutorado na PUC de São Paulo. Estudei e sou fluente em língua italiana e francesa, leio com facilidade espanhol e inglês.

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Depressão entre jovens

Jairo Bouer
Psiquiatra

Porcentagem de adultos jovens e adolescentes com o problema
saltou de 8,4% para 11,3%
Apesar de ser um fenômeno cada vez mais constante entre jovens, são as meninas que mais
sofrem com a depressão e ela aumenta mais entre elas!

Novos dados divulgados nas últimas semanas mostram que a saúde mental dos adolescentes deve ser foco importante das autoridades nos Estados Unidos da América (EUA) nos próximos anos. Depressão, problemas com uso de substâncias e taxas de suicídio estão em alta.

O primeiro estudo, publicado no periódico Pediatrics, revela que entre 2005 e 2014, a porcentagem de adolescentes e adultos jovens que já enfrentaram um episódio de depressão saltou de 8,4% para 11,3%. A cada ano, um em cada dez deles vai enfrentar um episódio depressivo.

Os pesquisadores da Universidade de Washington e da Escola de Saúde Pública de Johns Hopkins Bloomberg, em Baltimore, levantaram dados da Pesquisa Nacional de Uso de Drogas e Saúde, investigação anual do governo americano com dados de 172 mil adolescentes (de 12 a 17 anos) e de 178 mil adultos jovens (de 18 a 25 anos). As informações foram divulgadas pelo site Live Science e pelo jornal britânico Daily Mail.

Entre os adultos jovens, a faixa em que se nota um aumento mais nítido da depressão está entre 18 e 20 anos. Entre os adolescentes, o crescimento mais significativo aconteceu a partir de 2011. Em alguns Estados, a porcentagem de jovens com história recente de depressão atingiu 14%.

As taxas foram mais significativas entre as garotas, sobretudo nas estudantes negras. Especialistas acreditam que o crescimento do ciberbullying pode ser uma das raízes do problema. Não estar na escola, estar desempregado, morar em um lar sem um dos pais, ou sem os dois, e, ainda, o abuso de substâncias apareceram como fatores de risco para a depressão.

Dependência

Por falar em drogas, novo relatório do ministro da Saúde dos EUA revelou que um em cada sete americanos enfrenta hoje problemas com dependência de álcool, cigarro ou drogas. Isso implica em 21 milhões de pessoas, mais do que o número de pacientes que enfrenta o câncer naquele país. Só 10% têm acesso a tratamento. As informações são do Daily Mail. [Se essa é a situação em um país rico e desenvolvido com os Estados Unidos, imaginemos a situação por aqui, no Brasil!]

Além dos impactos para a saúde física, o abuso de substâncias tem peso importante para a saúde mental, e é uma das principais causas para os transtornos psiquiátricos. Em um momento em que o país adota posturas mais liberais em relação ao consumo de maconha, com vários Estados assumindo legislação mais flexível, os números podem mostrar a necessidade de uma mudança cultural em relação às drogas, sobretudo nos casos em que existe padrões de abuso e dependência. [Não é, absolutamente verdade, que a maconha seja inofensiva e não provoque graves males à saúde física e mental de quem faz uso constante dela!!!]

Entre os jovens, quanto mais cedo o contato com as substâncias, maiores os riscos de padrões mais complicados de consumo, bem como o impacto para a saúde mental e o desenvolvimento cognitivo, justamente em um momento em que o processo de aprendizado é tão importante. 

Taxas de suicídio em alta

Dados divulgados recentemente pelos Centros de Controle e Prevenção dos EUA (CDC) mostram que na faixa dos 10 aos 14 anos, o suicídio já superou os acidentes de trânsito como principal causa de morte. Em parte, o fenômeno é explicado pela redução significativa dos acidentes fatais (que caíram pela metade de 1999 a 2007). Mas a saúde mental desses jovens tem também peso importante nessa equação. No mesmo período, a taxa de suicídio dobrou. Os dados foram divulgados pelo jornal americano The New York Times.

Apesar de haver maior número de suicídios entre garotos, proporcionalmente o crescimento foi maior entre as meninas. Fatores que favorecem:
* O uso maciço das tecnologias digitais (com a consequente maior exposição às agressões, comparações e diversas formas de violência) e
* a puberdade chegando mais cedo (com falta de maturidade desses jovens para lidar com essa exposição toda) podem ajudar a entender o que está acontecendo com os mais novos.

É bom lembrar que a depressão é uma das principais causas de suicídio, em qualquer faixa de idade.

Para terminar, fica o alerta que muitos jovens “sofrem em silêncio” com depressão, consumo de drogas ou ideias de suicídio. Muitos não contam ou escondem seu estado de família e amigos. Os números revelam a importância de profissionais, pais e escolas estarem mais atentos para a saúde mental dos mais novos. E o que vale para os EUA em parte também vale por aqui.

Fonte: O Estado de S. Paulo – Saúde – Domingo, 20 de novembro de 2016 – Pág. A28 – Internet: clique aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.