«Daqui a alguns anos estarás mais arrependido pelas coisas que não fizeste do que pelas que fizeste. Solta as amarras! Afasta-se do porto seguro! Agarra o vento em suas velas! Explora! Sonha! Descubra!»

(Mark Twain [1835-1910] – escritor e humorista norte-americano)

Quem sou eu

São Paulo, SP, Brazil
Sou presbítero da Igreja Católica Apostólica Romana. Fui ordenado padre no dia 22 de fevereiro de 1986, na Matriz de Fernandópolis, SP. Atuei como presbítero em Jales, paróquia Santo Antönio; em Fernandópolis, paróquia Santa Rita de Cássia; Guarani d`Oeste, paróquia Santo Antônio; Brasitânia, paróquia São Bom Jesus; São José do Rio Preto, paróquia Divino Espírito Santo; Cardoso, paróquia São Sebastião e Estrela d`Oeste, paróquia Nossa Senhora da Penha. Sou bacharel em Filosofia pelo Centro de Estudos da Arq. de Ribeirão Preto (SP); bacharel em Teologia pela Pontifícia Faculdade de Teologia N. S. da Assunção; Mestre em Ciências Bíblicas pelo Pontifício Instituto Bíblico de Roma (Itália); curso de extensão universitária em Educação Popular com Paulo Freire; tenho Doutorado em Letras Hebraicas pela Universidade de São Paulo (USP). Atualmente, realizo meu Pós-doutorado na PUC de São Paulo. Estudei e sou fluente em língua italiana e francesa, leio com facilidade espanhol e inglês.

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Reaja ao golpe contra o combate à corrupção!

Leia com atenção e tome uma atitude
RODRIGO MAIA
Deputado Federal (DEM-RJ) preside a sessão da Câmara Federal que deveria votar as
"Medidas de Combate à Corrupção"
Quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Como é sabido por todos, a Câmara dos Deputados deveria votar nesta quinta-feira, 24 de novembro, o projeto de lei das «Dez Medidas Contra a Corrupção» apresentado pelo Ministério Público Federal e referendado por cerca de 2,5 milhões de assinaturas de cidadãos brasileiros de todos os estados da Federação.

Esse projeto foi analisado exaustivamente por um grupo de deputados federais integrantes da Comissão Especial Parlamentar constituída para essa finalidade. Nessa comissão o projeto do Ministério Público sofreu alguns acréscimos e emendamentos para mais ou para menos. O relator, deputado Onyx Lorenzoni (DEM – RS) ao final das discussões, apresentou um texto que foi aprovado pelos trinta membros presentes à votação na madrugada de quarta para quinta-feira. O relatório conclusivo do relator preservou a essência e principais pontos propostos pelo projeto original do Ministério Público Federal.

Esse texto deveria ter sido votado na tarde desta quinta-feira, pelo plenário da Câmara dos Deputados. Mas essa votação foi tão tumultuada e repleta de golpes de cena, que o presidente da Câmara, deputado federal Rodrigo Maia (DEM – RJ), decidiu adiar a votação para a próxima terça-feira, dia 29 de novembro.

Mas o que houve?
O que aconteceu na tarde de hoje na Câmara dos Deputados, em Brasília?

Algo muito simples de entender: um grupo consistente de deputados que é contrário a vários pontos dessas «Dez Medidas Contra a Corrupção» e que deseja aprovar leis que concedam uma anistia ao caixa 2 e outros crimes correlatos, como lavagem de dinheiro, se articularam para apresentar um outro projeto de lei totalmente diferente daquele do relator da comissão aprovado na madrugada desta quinta-feira, 24 de novembro. Inclusive, nesse novo texto haveria medidas de controle do poder Judiciário por meio de «lei de abuso de autoridade», como Renan Calheiros (senador por Alagoas, PMDB) já está procurando fazer aprovar no Senador Federal.

E para deixar mais à vontade os deputados a fim de votar um projeto de lei totalmente contrário àquele apoiado pela sociedade civil brasileira, os líderes dos partidos representados na Câmera votaram a favor do voto encoberto, isto é, não nominal!

Isso mesmo! Um projeto ansiosamente defendido e aguardado pela população do Brasil seria votado às escuras, sem saber-se o nome do deputado que estivesse votando a favor ou contra o mesmo! Como pode? Somente um Congresso avesso à vontade popular pode tomar uma medida como esta!

Por isso, aqui abaixo seguem os nomes e partidos de todos esses líderes que tentaram dar um golpe hoje à vontade popular e encobrir a votação!
Escreva-lhes protestando contra essa decisão deles e exigindo que a votação desse projeto das medidas de combate à corrupção seja em aberto, por meio do voto nominal de cada deputado federal.

Faça isso agora mesmo! Não deixe para depois!

Deputados Líderes com seus e-mails e
telefones do gabinete:

Jovair Arantes (PP, PTB, PSC)
Telefone: (61) 3215-9503

Baleia Rossi (PMDB, PEN)
Telefone: (61) 3215-9181, 3215-9180

Antônio Jácome (PTN, PTdoB, PSL)
Telefone: (61)3215-8900

Antonio Imbasshy (PSDB)
Telefone: (61) 3215-9345, 3215-9346

Aelton Freitas (PR)
Telefone: (61) 3215-9550

Paulo Foletto (PSB)
Telefone: (61) 3215-9650

Rogério Rosso (PSD)
Telefone: (61) 3215-9060, 3215-9070

Pauderney Avelino (DEM)
Telefone: (61) 3215-9265, 3215-9281

Márcio Marinho (PRB)
Telefone: (61) 3215-9880, 3215-9882

Weverton Rocha (PDT)
Telefone: (61) 3215-9700, 3215-9703

Genecias Noronha (SD)
Telefone: (61) 3215-9985, 3215-9986

Daniel Almeida (PCdoB)
Telefone: (61) 3215-9732

Afonso Florence (PT)
Telefone: (61) 3215-9130, 3215-9132

Ronaldo Fonseca (PROS)
Telefone: (61) 3215-9990

Weliton Prado (PMB)
Telefone: (61) 3215-5862

Nivaldo Albuquerque (PRP)
e-mail: dep.nivaldoalbuquerque@camara.leg.br (não consta e-mail da liderança da bancada)
Telefone: (61) 3215-5729

Aguinaldo Ribeiro (PP)
Telefone: (61) 3215-9426

Marco Feliciano (PSC)
Telefone: (61) 3215-9762, 3215-9761

André Moura (Líder do Governo)
Telefone: (61) 3215-9001

Jandira Feghali (Liderança da Minoria)
Telefone: (61) 3215-9820

Sugestão de mensagem a ser enviada por e-mail a todos estes líderes indicados acima:

Excelentíssimo Sr.(a) Deputado(a) Líder de Partido ou Bancada

Venho expressar o meu mais veemente repúdio ao voto de lideranças partidárias que ocorreu na quinta-feira, dia 24 de novembro, através do qual V. Exas. decidiram que a votação do relatório da Comissão Especial de Análise das Medidas contra a Corrupção, dos destaques e das propostas alternativas ao mesmo se daria não por voto nominal.

Como é possível a Casa que deveria representar a população brasileira ter receio de mostrar o rosto, o nome, a atitude de cada deputado federal em uma votação dessa importância? O que V. Exas. têm a esconder da população deste país exausto e oprimido por tanta corrupção?

Escrevo no sentido de solicitar que V. Exas. optem pelo voto a descoberto, nominal na próxima sessão plenária da Câmara Federal que for debater essas propostas de lei.

Insisto que seja aprovado, tal como elaborado pelo relator Deputado Federal Onyx Lorenzoni (DEM – RS), o projeto das Medidas Contra a Corrupção. Qualquer alteração que for realizada em plenário será interpretada pela sociedade brasileira como manobra para desfigurar e tornar menos eficazes essas propostas de lei.

Na certeza de ser compreendido e ouvido por V. Exas., despeço-me agradecendo pela V. atenção.

Saudações,

(Nome completo e endereço)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.