«Penso noventa e nove vezes e nada descubro; deixo de pensar, mergulho em profundo silêncio – e eis que a verdade se me revela.»

(Albert Einstein [1879-1955] – físico teórico alemão, um dos mais ilustres cientistas do mundo)

Quem sou eu

Jales, SP, Brazil
Sou presbítero da Igreja Católica Apostólica Romana. Fui ordenado padre no dia 22 de fevereiro de 1986, na Matriz de Fernandópolis, SP. Atuei como presbítero em Jales, paróquia Santo Antönio; em Fernandópolis, paróquia Santa Rita de Cássia; Guarani d`Oeste, paróquia Santo Antônio; Brasitânia, paróquia São Bom Jesus; São José do Rio Preto, paróquia Divino Espírito Santo; Cardoso, paróquia São Sebastião e Estrela d`Oeste, paróquia Nossa Senhora da Penha. Sou bacharel em Filosofia pelo Centro de Estudos da Arq. de Ribeirão Preto (SP); bacharel em Teologia pela Pontifícia Faculdade de Teologia N. S. da Assunção; Mestre em Ciências Bíblicas pelo Pontifício Instituto Bíblico de Roma (Itália); curso de extensão universitária em Educação Popular com Paulo Freire; tenho Doutorado em Letras Hebraicas pela Universidade de São Paulo (USP). Atualmente, realizo meu Pós-doutorado na PUC de São Paulo. Estudei e sou fluente em língua italiana e francesa, leio com facilidade espanhol e inglês.

quinta-feira, 12 de abril de 2018

Maria Madalena em filme

Resenha histórica do novo filme “Maria Madalena”

Reinaldo José Lopes

Vários aspectos positivos justificam assistir ao filme

E aí, vale a pena assistir ao novo filme “Maria Madalena”?

Nesta pequena resenha praticamente sem spoilers [revelar o conteúdo do filme], aponto alguns detalhes históricos ou ligados aos textos cristãos primitivos que foram bem abordados pela narrativa cinematográfica.

Bônus: explico resumidamente por que não é absurdo presumir que Jesus foi mesmo celibatário. Confira o vídeo, clicando sobre a imagem abaixo:


Eis os principais pontos abordados:

1) De fato, a participação de mulheres no movimento religioso de Jesus de Nazaré foi algo que destoou de quase todo o judaísmo do século 1 e era chocante, como foi retratado no filme;

2) A tensão e rivalidade incipiente entre Pedro e Maria Madalena reflete o que os textos apócrifos dizem sobre eles (embora esses textos não retratem fatos históricos, eles falam de tensões que existiam dentro de grupos da Igreja primitiva do século 2 em diante);

3) Não há relacionamento sexual entre Jesus e Maria Madalena, o que foi um grande acerto da produção;

4) Por ser um adepto do judaísmo apocalíptico, para o qual o fim dos tempos estava prestes a ocorrer, Jesus provavelmente não se importava com casamento e filhos mesmo.

MARIA MADALENA – Ficha do Filme

Duração do filme: 1h59min
Idade: Não recomendado para menores de 12 anos
Data de lançamento nacional: 15 de março de 2018
Direção: Garth Davis
Elenco: Rooney Mara, Joaquin Phoenix, Chiwetel Ejiofor e outros.
Gêneros: Histórico, Drama, Biografia
Nacionalidade: Reino Unido
Sinopse: A história de uma das figuras mais enigmáticas e incompreendidas da história bíblica: Maria Madalena (interpretada por Rooney Mara). Em busca de uma nova maneira de viver, contrariando as pressões da sociedade, sua família e o machismo de alguns apóstolos, a jovem pescadora junta-se a Jesus de Nazaré (interpretado por Joaquin Phoenix) em sua incansável missão de propagar a fé.

Clique sobre a imagem abaixo para assistir ao trailer do filme:


Fonte: blog Darwin e Deus – Reinaldo José Lopes – Folha de S. Paulo – Segunda-feira, 9 de abril de 2018 – 16h00 (Horário de Brasília – DF) –Internet: clique aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.